$

Saudade

Foto: Renata Cotta

Felicidade. Alegria. Tristeza. Saudade. Palavras que mostram o que sinto hoje. Parece que a ficha não caiu. Sei que não estou dizendo adeus. Sei que é apenas até logo. Mas sei também o quanto vou sentir sua falta, Amanda. Afinal, são quatro anos de amizade. Sempre fomos inseparáveis. Te fiz confissões. Te fiz promessas. São quatro anos de muitas risadas. De histórias mil. Fomos nos tornando parecidas. De tão unidas, nos perguntam se somos irmãs. E eu digo que sim, por escolha nossa! Os amigos são a família que podemos escolher! Desejo que você seja feliz em Brasília! Que faça novas amizades, que dê tudo certo! Sei que nossa amizade não vai acabar nunca (já enfrentamos barreiras muito maiores do que a distância!)! Te amo muito! Um beijo, Tchau!
* Já te disse que assim que der eu vou te visitar?!

2 comentários:

  1. Amanda18:50

    AI ai ai amiga....só vc mesmo....ja chorei de novo!!!! ahahahah
    tb ti amu muito!!! e a distancia nao ira nos separar!!!
    ja disse...e vou te esperar...
    bjos!!!!!
    =''.''=

    ResponderExcluir
  2. Falando em saudade vai aí uma poesia do meu amigo de Cipotânea Dionisio Donato que fez este poema, achei 10.

    Cipotânea,

    Quero escrever aqui minha recordaciones poética da cidade de Cipotânea,
    o Säo Caetano do Xopotó, meu paraíso de cipós amarelos,
    minha cidade querida levo te calada nas montanhas das Minas
    espirituosa de pessoas meigas e devota seja das Contendas ou das Grotas,

    Antes dos europeus vivivam os indios puris botoques
    Orgulhosa de ser o que é no seu mocó,
    Com os rios Brejaúba, Espera e Xopotó
    A alegre céu para todos em Cipó

    Sua beleza com céu mágico faz da arte sensata da palha o trabalho e inspiracäo no sustento levando o päo na mesa com fartura e alimento. Que em mäos sabedoras artesäs(os) fazem do seu dia a dia do tempo.

    Me recordo que minha tem milho, sabiá, siriema e angico de juá,
    a boiada que passa aqui näo é mesma que passa lá.
    Somente tenho mesmo saudade de voltar para o meu lugar,
    onde o tempo passa täo devagar
    E eu aqui na cidade grande sou apenas mais um neste instante iema mana xícaras.
    Sobre anos passam os meus dias pensando: quando irei passar por lá?
    Entäo fico aqui “matando” a saudade no plano alto do pico Xopotó, chás
    Taperas toando versos diários para poder me nas cachoeiras nadar.

    ResponderExcluir